Coisa de japonês

Por DAIGO OLIVA

“Em breve você vai reinventar o significado do ‘air guitar'”.

O comentário postado em um dos muitos vídeos da página do multi-artista japonês Daito Manabe é real. Formado em matemática, Daito vem realizando uma grande pesquisa que utiliza o corpo como forma de estímulo sonoro, mas de maneira completamente digital.

Com sensores aclopados ao corpo, estímulos elétricos e milhares de programações minuciosamente estudadas, o artista promove uma série de performances, muitas vezes caseiras, em que as excitações geradas pelos movimentos corporais são transformadas em sons e música.

É o caso do espetáculo de dança contemporânea “True”, dirigido pelo também japonês Takayuki Fujimoto. Conjunção perfeita de dança, luz e som, True esteve em cartaz no Sesc Pinheiros, em São Paulo, há 3 anos, quando foi possível entender a loucura da pesquisa do artista.

Mais do que apenas som, Daito utiliza também o corpo como plataforma visual. Projeções mapeadas, barras de led que mais se parecem com brinquedos de rave são reinterpretadas com o uso de videogames e sensores.

Não dá para ficar descrevendo, tem que ver.

Coisa de japonês mesmo. Para ver mais de Daito Manabe é só clicar aqui