Entretempos

Imagens diluídas em diferentes suportes

 -

Editado por Daigo Oliva, editor-adjunto do Núcleo de Imagem da Folha, o blog aborda os diferentes suportes da imagem, com ênfase sempre na fotografia.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Nossa estranha obsessão por celebridades

Por DAIGO OLIVA

Certa vez, um amigo postou numa rede social dizendo que os moderadores de comentários de leitores em sites de notícias eram como sommeliers de esgosto.

Pode ser.

Mas, na mesma proporção, para cada comentário que mistura nonsense, política às avessas, xingamentos, teorias da conspiração, religião e muitos erros de português, existe uma notícia irrelevante redigida por algum jornalista. E elas não são poucas.

Na época em que uma das metades do Entretempos trabalhou como fotojornalista, uma pauta ficou marcada na memória com um misto de vergonha e perplexidade.

Madonna estava no Brasil para alguma de sua turnês e ficou hospedada num hotel na zona sul de São Paulo. Assim como eu, um sem número de fotógrafos ficou na porta esperando que algo acontecesse, na esperança de que ela desse as caras, um aceno, qualquer coisa que o valha.

São nesses plantões intermináveis que você conhece quem são as pessoas que trabalham na mesma profissão que a sua. É muito tempo para jogar conversa fora e pouco botão para apertar.

Lá pelo final da tarde, quando nada mais poderia acontecer, alguém olha para a janela do quarto onde diziam que a cantora poderia estar e fotografa. Fotojornalista age por reflexo e, mesmo que não saiba muito bem o porquê, começa a disparar. Todo mundo fez o mesmo.

A cena era a seguinte: um homem de costas, encostado no vidro, usando uma camisa da seleção brasileira. Ponto.

Fiz a foto, a repórter pediu para que enviasse correndo e lá estava a notícia – “Camisa 10 da seleção aparece no quarto de Madonna. Pessoa usando camisa de futebol apareceu por instantes na janela”.

Em poucos minutos, era uma das notícias mais lidas do site, assim como deve ter sido em muitos outros.

Jornalismo, principalmente quando se traveste de papparazi, tem seus dilemas de bolacha. As notícias são irrelevantes pois é o que a audiência quer ou a audiência se tornou assim por conta de quem produz as notícias?

Vai saber.

Michael Stipe, vocalista da banda R.E.M., em foto de Chris Buck, em 2007

O fotógrafo americano Chris Buck acaba de lançar “Presence”, livro de fotos em que retrata celebridades de um modo muito interessante.

Artistas, cantores, escritores e afins, retratados na publicação, simplesmente não aparecem nas imagens. Ou aparecem?

Buck, fotógrafo requisitado por revistas americanas como a “Newsweek” e “Entertainment Weekly”, aproveitou o acesso que tem aos famosos para criar uma brincadeira de esconde-esconde.

Durante os intervalos da foto, pediu aos personagens que se escondessem por 30 segundos enquanto fotografava.

Para cada artista, coletou declarações de testemunhas que atestam que a celebridade estava presente durante o registro.

O que de fato interessa ao fã? É a presença física do ídolo em algum lugar ou a ideia de que ele poderia ter passado por lá?

Cindy Sherman, em 2010. Sherman foi um dos poucos que Buck registrou especialmente para o projeto, sem aproveitar nehuma outra pauta em que o personagem estaria presente

Além de Michael Stipe e Cindy Sherman, nomes como David Lynch, David Byrne, Jonathan Franzen e Nick Cave aceitaram participar do projeto, que durou 5 anos desde a sua concepção.

Não é a primeira vez que Chris Buck brinca com a ideia de celebridade.

Sua série anterior, “Isn’t” traz imagens de pessoas muito parecidas com famosos durante atividades bestas do cotidiano. As imagens são tão espontâneas e os “atores” tão parecidos que você passa assumir que eles são, de fato, as celebridades.

Tanto “Isn’t” como “Presence” mexem com a obsessão que temos pelos personagens célebres da nossa cultura contemporânea.

Vai entender.

David Byrne, em 2010

Voltando ao início do texto, durante aquela turnê da Madonna, ainda registrei o vidro de seu carro chegando numa ONG, onde, em meio ao reflexo, era possível ver apenas uma mão e um par de óculos escuros e, depois, uma comitiva de carros chegando ao estádio do Morumbi para o show. Se Madonna estava no carro ou não, jamais saberemos.

Todas as fotos foram publicadas.

Naquela vez, uma das metades do Entretempos foi um sommelier de esgoto.

Para ver a galeria completa de “Presence” é só clicar aqui

* Essa postagem começou a partir de uma dica de Gabo Morales. Tem sugestões? Escreve pra gente: entretemposblog@gmail.com

Blogs da Folha