A nostalgia íntima dos anos 90

Por DAIGO OLIVA

Uma das metades do Entretempos escreveu para a Ilustrada sobre “1990s”, livro de Marcelo Krasilcic que será lançado hoje.

Reproduzimos aqui o texto publicado no caderno.

Mais tarde, ainda tem as semanais “Instantâneas”, com notinhas de eventos e curtas notícias de arte, fotografia e o que vier a cabeça.

Até!

_ _

“Neca splashing”, foto de 1999 de Marcelo Krasilcic

Entre registros íntimos de sua família, amigos e amantes, o fotógrafo paulistano Marcelo Krasilcic, 43, lança hoje “1990s”, livro de fotos em que tenta recontar sua vida a partir das imagens captadas nos anos 1990.

Mais conhecido pelos editoriais de moda que exibiu nas páginas de revistas como “Dazed & Confused” e “Self Service”, o fotógrafo opta por uma narrativa que prioriza as experiências do período em que se mudou para Nova York para estudar fotografia.

“Jovem, brasileiro, judeu e gay numa época de incertezas. Eu estava começando em tudo, me conhecendo como homem, descobrindo minha sexualidade de uma maneira mais profunda, questionando os relacionamentos”, diz.

Recém-formado, dividiu espaço em mostras coletivas com fotógrafos já consagrados como Nan Goldin, ao mesmo tempo em que passou a trabalhar em revistas que se tornariam referências estéticas da década de 1990.

“Essas publicações estavam começando e o conceito era exatamente o que eu estava fazendo. Uma coisa íntima, mistura de modelo com amigo em que você nem sabia diferenciar quem era quem. A roupa estava lá, mas era um acessório para ajudar o que queríamos transmitir com as fotos.”

Uma dessas imagens, publicada na revista “Visionaire” –de três pessoas impecavelmente vestidas no banco traseiro de um carro–, atraiu a atenção do duo inglês Everything But The Girl. O fotógrafo reproduziu a mesma ideia com a banda e o retrato se tornou a capa do disco “Walking Wounded” –e talvez sua imagem mais famosa.

“Prom”, foto que originou a capa do disco do “Everything But the Girl”

As imagens de moda, amigos, parentes e namorados –em poses de ioga, com pouca ou nenhuma roupa– são intercaladas com fotos de lugares e objetos que fazem parte da memorabilia pessoal do artista.

A loja de móveis dos avós e a mãe decoradora conferem outro nível de intimidade com os elementos fotografados, colocando os objetos no mesmo nível afetivo das pessoas presentes no livro.

“Não é um livro gay erótico, ou só de fotos da minha família, ou apenas de moda. É um livro que tenta trazer uma visão do universo inteiro de experiências que eu tive”, resume Krasilcic.

Na esteira dos livros-objeto, “1990s” tem uma edição luxuosa em dois volumes. Cada contracapa possui um ímã que junta os livros num só, podendo se separar ou se reunir conforme a “narrativa romântica, de encontros e desencontros” que o autor propõe.

1990S
AUTOR Marcelo Krasilcic
EDITORA Cosac Naify (332 págs.)
QUANTO R$ 160