De Dentro #14

Por DAIGO OLIVA

O De Dentro dessa semana é do fotógrafo Filipe Redondo.

Em novembro de 2011 fui à Belém do Pará com a repórter de uma revista semanal para entrevistar e fotografar um dos assassinos brasileiros mais notórios dos últimos anos: Rayfran das Neves.

Réu confesso do assassinato da missionária e ativista americana Dorothy Stang em 2005, no interior da Pará, ele já cumpria pena em regime semi-aberto num prisão da cidade. Depois de dois dias tentando articular a entrevista com seu advogado, conseguimos algumas horinhas com o matador. Chegamos no horário marcado, 6 da tarde, mas ele ainda não estava lá. Difícil era controlar a ansiedade naquele fim de tarde quente sentado no escritório improvisado na casa do advogado.

De repente, Rayfran aparece na porta da casa acompanhado de sua namorada. Segui a entrevista pra observar os trejeitos dessa figura peculiar. Franzino e tímido, ele sorri desconfortável em cada momento que toca no nome da missionária. A entrevista terminou às 7 e meia. Tinha que fazer um bom retrato em 10 minutos, pois ele teria que voltar ao presídio às 8 da noite. Resolvi levá-lo numa ruazinha que tinha um poste de luz apagado ao lado do escritório. Andamos sozinhos em silêncio por alguns minutos naquela ruela deserta.

Dizem que um bom retrato é feito pelo fotógrafo, que tem que dirigir o fotografado pra deixá-lo à vontade. Eu queria o contrário. Queria deixá-lo desconfortável, que se sentisse esquisito na frente da câmera. Não disse nada além dele se posicionar embaixo da luz. Fiz umas dez fotos e achei que já tinha um bom material.

Voltando pro escritório, os dois mais relaxados, conversamos sobre a campanha do Vasco, seu time, no campeonato brasileiro daquele ano. Olhando a foto depois, percebo a vulnerabilidade, o elemento humano, aquela banalidade de assistir ao futebol do domingo à tarde. Ao mesmo tempo, uma prepotência peculiar de alguém que mata à sangue frio e não sente remorso algum. Para mim, o mistério desse encontro da complexidade humana em uma imagem é muito especial.

Formado em jornalismo, Filipe Redondo é fotógrafo. Além da própria Folha, para quem colabora desde 2006, publica também na revista “Época”. Ainda faz parte do coletivo Trema.

Toda segunda, o Entretempos apresenta a seção De Dentro –uma pessoa elege uma imagem importante em sua vida (uma fotografia, um quadro, uma capa de disco, um postal, o que vier a cabeça) para relembrar memórias e sensações ou relatar o porquê daquela figura ser tão fundamental.

Gostou? Confira os outros De Dentro: Eduardo Leme, Renata Simões, Cassiana Der Haroutiounian, Juliana Freire, Daigo Oliva, Lulina, Daniel Klajmic, Mônica Maia, Nazareno Rodrigues, Beto Brant, Manuel da Costa Pinto, Marcos Augusto Gonçalves e Cassiano Elek Machado.