Entretempos

Imagens diluídas em diferentes suportes

 -

Editado por Daigo Oliva, editor-adjunto do Núcleo de Imagem da Folha, o blog aborda os diferentes suportes da imagem, com ênfase sempre na fotografia.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Um pouco da nova edição da ZUM

Por DAIGO OLIVA

A ZUM, revista do Instituto Moreira Salles dedicada à fotografia, chega a sua quarta edição.

Semestral, a publicação será lançada neste sábado (27).

A novidade é que, junto ao lançamento, o IMS abrirá um edital de fotografia.

O instituto premiará dois projetos com uma bolsa no valor de 65 mil reais cada. Em oito meses, os selecionados deverão desenvolver e apresentar os projetos, que funcionam como bolsa-aquisição.

Ou seja, parte do material produzido será incorporado ao acervo do IMS.

Os detalhes serão anunciados junto com o lançamento da revista, mas já se sabe que os projetos serão recebidos entre os dias 27 de abril e 15 de julho.

Por enquanto, o Entretempos adianta em primeira mão um dos destaques desta edição, o ensaio “Cinquenta e Cinco”, de Rosângela Rennó. A artista falará sobre estas imagens durante o lançamento da publicação.

A ZUM #4 ainda traz o ensaio “Bulevar”, da fotógrafa americana Katy Grannam com retratos de personagens marginalizados nos EUA, o cineasta alemão Win Wenders e seu diário de anotações e fotografias e o projeto Image Atlas, parceria da fotógrafa americana Taryn Simon e Aaron Swartz, um gênio da tecnologia que teve sua vida interrompida prematuramente.

As informações do lançamento estão no final desta postagem. 😉
_ _

“Cinquenta e Cinco”, de Rosângela Rennó

“Os Ektachromes, deteriorados pela ação do tempo ou dos fungos, ou convertidos em lindos monocromos, ganharam linhas e cores estranhíssimas.

Já os Kodachromes mantiveram um frescor cromático quase diabólico.

Como se o tempo não pudesse corromper, em absoluto, aquelas imagens; linhas e contornos gravados na emulsão, como se uma pedra lançada num lago produzisse ondas que fossem repentinamente paralisadas, para sempre.

Desde a morte do meu pai, em 1987, tornei-me a herdeira oficial desses slides, que guardo com os outros registros fotográficos feitos por ele.

Gosto de revisitá-los regularmente, da mesma maneira, com meus olhos de peixe ou de aumento, tentando inventar situações improváveis, mas não impossíveis, de pertencimento e contiguidade.

Cinquenta e cinco anos se passaram, e as ondas naquele lago continuam lá.

Paradas.

Como se não tivessem passado nem cinco milésimos de segundo.

É muito bom contar com isso”.

– Rosângela Rennó

_ _

Anota aí:

Lançamento ZUM #4
Sábado, 27 de abril, às 11h
Livraria Martins Fontes
Av. Paulista, 509
São Paulo
http://ims.uol.com.br/revistazum/

Blogs da Folha