Os melhores fotolivros de 2013 – Pt. 2

Por DAIGO OLIVA

Seguimos com a lista dos melhores fotolivros do ano!

Perdeu a primeira parte? É só clicar aqui.

ps. pedimos ao Horacio Fernández apenas cinco livros, mas ele se empolgou.

***

Horacio Fernández, historiador e organizador da coletânea “Fotolivros Latino-Americanos”

– “Casa de Campo”, de Antonio M. Xoubanova

Fábulas urbanas em um parque maravilhoso, como um conto em que as rãs se tornam príncipes. Qualquer buraco é uma tumba, o cruzamento de caminhos são atemporais… Neste fotolivro, tudo que é sólido se desmancha no ar cheio de alegorias e lendas.

– “The Pigs”, de Carlos Spottorno

O sul desde o norte. Spottorno certifica a realidade dos tópicos dos economistas. Até os exagera. O resultado tem a força dos velhos registros de Hogarth ou Goya. O humor sempre foi perigoso: significa diferença.

– “Sobre São Paulo”, de Claudia Jaguaribe

Uma sanfona esmagadora, quase tão grande quanto a cidade. Como em “El Hacedor”, texto de [Jorge Luís] Borges, sobre um cartógrafo que desenha incansavelmente um mapa infinito e que ao final revela seu próprio rosto.

– “Desaudio”, de Lucas Lenci

Paisagens lentas e pouco frias. Imagens coloridas, mas quase em preto e branco, puras harmonias cromáticas. Visão urbana de uma natureza oriental que o fotógrafo encontra com habilidade surpreendente em muitos lugares.

– “Você está feliz?”, de Miguel Rio Branco

O esperado novo fotolivro de Rio Branco é amável, está entonado em gamas azuis e alaranjadas rodeadas de sombras profundas, povoado por crianças e outros detalhes invisíveis, quase imateriais. Outra obra-prima do mestre.

– “Black Country Women”, de Martin Parr

Em formato de revista, neste caso, de um shopping. Receitas, supermercados, granjas, casas adoçadas, clubes de leitura, manualidades, anúncios sem glamour. As pessoas são maiores e suas roupas nunca estarão na moda.          O verdadeiro luxo da vida real.

– “¡Ahlan!”, de Nuria Carrasco

Tem a forma da revista “Hola”, uma revista que trata das posses, aparências e corações dos ricos e famosos. Como de costume, as belezas nos abrem as portas de sua casa, desta vez em um campo de refugiados.

– “Karma”, de Óscar Monzón

Carrocerias que brilham mais que o sol. Um pantone impossível, criado pela noite e pelas luzes de flashes. De vez em quando, fragmentos de gente que vive detrás dos parabrisas. Imagens sem lugar, de todas as partes, que contam histórias elípticas que podem acontecer em qualquer lugar e serem protagonizadas por qualquer leitor deste fotolivro, levado automaticamente a uma viagem contemporânea.

– “The Canaries”, de Thilde Jensen

Poderia ser o fotolivro oficial do Breaking Bad. Não é pouco.

– “The Waiting Game”, de Txema Salvans

Livro difícil, criticado pelos novos censores do pensamento politicamente correto. Apesar disso, é um grande fotolivro de paisagens urbanas sem romantismo, habitado por prostitutas sem rosto. Ausência completa da noite. Tudo acontece à luz do meio-dia, como a própria vida.

***

Leo Caobelli, fotógrafo membro do coletivo Garapa

– “Ametsuchi”, de Rinko Kawauchi

Rinko Kawauchi é, definitivamente, uma de minhas fotógrafas prediletas. Além de suas imagens primorosas que nos transportam para outro lugar além do que foi fotografado, o cuidado dispensado a cada um dos livros faz deles o melhor suporte para conhecer seu trabalho. “Ametsuchi” é um dos melhores exemplos disso.

– “The Photography of Nature & The Nature of Photography”, de Joan Fontcuberta

Um livro que concentra os ensaios e textos mais conhecidos do fotógrafo catalão. Fontcuberta é um mestre em criar narrativas e explorar seus limites. Vê-las reunidas em um só livro, tão bem editado pela Mack, é definitivamente algo para se ter na biblioteca.

– “Casa de Campo”, de Antonio M. Xoubanova

Xoubanova busca suas histórias pela Madrid em que vive. Em “Casa de Campo”, o fotógrafo traça um arco de memória entre o que foi essa área, um gigantesco parque de propriedade da família real espanhola até 1931, e o que ele é hoje. Mais uma edição extremamente bem cuidada da Mack.

– “Los Modlin”, de Paco Gomez

Outro espanhol na lista. Dizem que a Espanha está se tornando uma potência não só no futebol, mas também no mundo dos fotolivros. Os Modlin foi financiado por crowdfunding e conta a história de uma família a partir de um arquivo de fotografias e cartas encontradas por Paco Gomez em uma rua de Madri. A narrativa mistura a vida da família nos EUA (com destaque para a atuação do Modlin pai na última cena de bebê de Rosemary), até as pinturas religiosas criadas pela mãe na Espanha. 

– “É Preciso Arrumar a Casa”, vários autores

Mais um projeto fruto de financiamento coletivo, “É Preciso Arrumar a Casa” une seis fotógrafos, cinco gaúchos e uma espanhola. São seis pequenos livros reunidos em uma caixa, cada um contendo o ensaio de seu respectivo fotógrafo. Uma grata surpresa vinda do sul do país.

***

Aaron Schurman, editor da SeeSaw Magazine

– “Dalston Anatomy”, de Lorenzo Vitturi

– “Iris Garden”, de John Cage and William Gedney

– “Birds of the West Indies”, de Taryn Simon

– “Surrendered Myself to the Chair of Life”, de Jin Ohashi

– “Excerpts from Silver Meadows”, de Todd Hido

ps. 3 Schurman preferiu não comentar as obras.

ps. 4 até o fim da semana tem a parte 3…

_ _

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.