Os melhores fotolivros de 2013 – Pt. 3

Por DAIGO OLIVA

A gente falou que a terceira parte da lista dos melhores fotolivros do ano viria ainda na semana passada, maaaaas… Ficou para hoje.

Vamos lá?

ps. perdeu a primeira e segunda parte? É só clicar aqui e aqui.

ps 2. de última hora, Thyago Nogueira, editor da revista ZUM, topou fazer uma pequena participação com a indicação de um livro só. Ta bom, né?

***

Geoff Dyer, escritor e ensaísta, autor de “O Instante Contínuo”

– “Photojournalists on War: Untold Stories from Iraq”, de Mike Kamber

Michael Kamber entrevista fotógrafos sobre as histórias por trás de imagens fantásticas. Muitas delas reproduzidas no livro são sobre a guerra.

– “American Colour 1962–1965”, de Tony Ray-Jones

Lindo e sutil. Vislumbres liricamente mudos dos EUA por um britânico.

– “The Landscape of Murder”, de Antonio Zazueta Olmos

Olmos fotografou o lugar de cada assassinato executado em Londres no período de 1º de janeiro de 2011 até o dia 31 de dezembro de 2012. Nos vários estágios do resultado –pesar, dor, indiferença, esquecimento– uma paisagem familiar passa a mudar completamente.

– “Photography and the American Civil War”, de Jeff Rosenheim

Catálogo de uma exposição magnífica: fotografias inéditas e imagens icônicas junto a textos explicativos e análises do curador.

– “Garry Winogrand”, de Leo Rubinfien

Retrospectiva imensa do trabalho do grande fotógrafo de rua. Incomparável, maravilhoso e inesgotável.

***

Cassiana Der Haroutiounian, editora de fotografia da revista Serafina e uma das metades deste blog

– “In and Out of Fashion”, de Viviane Sassen

Viviane Sassen continua seu estudo sobre o corpo e as cores. Lindo.

– “The Granny Alphabet”, de Tim Walker

Fotos e ilustrações que formam a maior fofura do planeta neste ano.

– “Hustlers”, de Philip Lorca diCorcia

O tamanho físico do livro é tão grande quanto seu conteúdo. diCorcia inverte a relação de troca da fotografia ao expor o valor de um retratado.

– “Two Rivers”, de Carolyn Drake

Lindo, sutil e poderoso, em uma diagramação quebrada e ao mesmo tempo contínua, assim como um rio.

– “A Sporting Life”, de Jacques Henri Lartigue

Lartigue segue desafiando a gravidade, onde quer que esteja.

***

Thyago Nogueira, editor da revista ZUM e responsável pela área de fotografia contemporânea do Instituto Moreira Salles

– A01 [cod.19.1.1.43] – a27 [s | cod.23], de Rosangela Rennó

O livro reproduz em escala real o que restou em cada uma das 27 caixas da coleção Pereira Passos, furtadas no Arquivo Geral do Rio de Janeiro. Com tiragem de 500 exemplares, o livro é a denúncia permanente de um roubo e uma obra visual sedutora, que trata dos efeitos colaterais do mercado de arte e do colecionismo.

***

ps 3. Obrigado a todos os colaboradores desta extensa lista! O blog espera que você, leitor, possa retirar boas dicas de fotolivros neste ano. 2013 foi um ano cheio de ótimas obras e uma grande sensação de que os livros de fotografia ficarão cada vez mais e mais populares. Viva!

_ _

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.