Bússola 3D

Por DAIGO OLIVA

O texto abaixo foi originalmente publicado na edição de sábado da Folhinha, o caderno para crianças da Folha. Aqui, o blog edita uma versão um pouco maior da entrevista com o artista gráfico Andrés Sandoval, 40.

Seu livro, “Os Pontos Cardeais Acrobatas”, utiliza o efeito do 3D de maneira delicada para reproduzir a brincadeira infantil da cama de gato. Com detalhes sofisticados, como as mãos dispostas em diferentes páginas que se unem ao fechar a publicação, a obra surpreende crianças e adultos.

***

Talvez você não saiba o nome desse jogo, mas com certeza já deve ter brincado de cama de gato. Um pedaço de barbante, amarrado nas pontas, é esticado entre as mãos. Com a ajuda de outra pessoa, o fio é embaralhado para criar novos desenhos, mas sempre recuperar a forma da letra “X”. Lembrou? Agora, imagine fazer uma cama de gato 3D, que “salta” do papel.

Pode parecer louco, mas o artista gráfico Andrés Sandoval, 40, levou a ideia em frente e produziu o livro tridimensional “Os Pontos Cardeais Acrobatas”, lançado pela editora Cosac Naify (R$ 49,90). Como no cinema, para enxergar os movimentos da brincadeira, são necessários óculos especiais, que vêm dentro do livro. Sandoval, que também ilustra a coluna “Cafuné”, da “Folhinha”, explica como fez o livro: “Foi preciso produzir duas imagens do mesmo objeto, fotografadas com uma pequena diferença de ângulo“.

As duas fotos são montadas uma em cima da outra, com cores diferentes. Quando as olhamos com os óculos, temos a sensação de que é uma imagem só com profundidade“, explica o artista. A sensação é de profundidade, mas tudo de maneira bem sutil. Diferente dos filmes de ação 3D em que explosões e jatos d’água quase encostam no rosto do espectador, “Os Pontos Cardeais” preza por um efeito mais delicado.

Muitas vezes, essas nuances passam despercebidas pelas crianças, mas o autor defende que o livro não pode subestimar a interpretação da garotada. Segundo Sandoval, os pais têm papel fundamental na leitura, acompanhando e explicando pontos específicos da obra.

“O mundo infantil está complexo também. É um livro que demanda atenção e hoje em dia as crianças estão cada vez mais dispersas. O livro também é uma relação que se estabelece com os pais e a leitura que se faz da obra tem muito a ver com o que você vê a partir da visão do mundo infantil”.

Em cima do barbante, Sandoval desenhou outros fios, bem fininhos, que representam os pontos cardeais e se equilibram no cordão como malabaristas. Assim, Norte, Sul, Leste e Oeste dançam pela cama de gato e orientam as direções da brincadeira. Sandoval desenhou o livro para que cada mão ficasse em uma página diferente, com os fios passando pelo meio. “Fiz isso para que, quando o livro fosse fechado, as mãos se juntassem para reproduzir a própria brincadeira do barbante.

_ _

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.