‘Party’, de Cristina de Middel

Por DAIGO OLIVA

Não será propriamente um haikai, mas o conceito da forma literária japonesa será aplicado aqui. Em resenha curtas e concisas, o Entretempos vai comentar, na medida do possível, alguns lançamentos de fotolivros recentes.

Foto: Avener Prado/Folhapress

“Party”, de Cristina de Middel (RM Editorial) – Litros de corretivo líquido são usados para apagar parágrafos do livro vermelho de Mao Tse Tung. A fotógrafa edita frases da obra original e combina as novas sentenças a imagens feitas na China. Assim, “reproduz” a mesma tática de censura do partido comunista local. É legal fazer piadinha de um governo que matou milhares de pessoas? Ah, não é. Mas como disseram Os Replicantes: “Resolver os problemas do mundo é coisa de vagabundo”. Ao menos é um protesto bem-humorado e mergulhado em aura pop. Você também pode transformar o livro em um biscoito chinês. Abra numa página qualquer e ali estará sua sorte (ou azar) do dia. Desde que a espanhola se tornou um nome hiperpopular após o sucesso de “The Afronauts”, virou mania olhá-la com desconfiança. O fato é que Cristina de Middel fotografa demais e seus trabalhos provam o tamanho de sua sagacidade para criar obras com ideias complexas e bem executadas.

Avaliação: muito bom

Veja o livro: http://vimeo.com/89492588

Haikai: em críticas curtas, o blog comenta fotolivros lançados neste ano.

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.