‘Mandy and Eva’, de Willeke Duijvekam

Por DAIGO OLIVA
Foto: Avener Prado/Folhapress

‘Mandy and Eva’, de Willeke Duijvekam (autopublicado) – Assim como os índios e as favelas sempre foram assuntos tradicionais da fotografia brasileira, alguns temas se repetem por aí. Vovôs com câncer, anões, albinos… No momento, a obsessão de muitos artistas são transgêneros. O livro da holandesa Willeke Duijvekam mostra dois meninos que se descobrem mulheres. Ela acompanhou, separadamente, o processo de redefinição das garotas e montou a publicação dividida em duas partes –uma das histórias é sempre sobreposta à outra, escondendo e revelando imagens. O que faz sentido, já que se trata de um trabalho sobre descobrimentos. Acredito que, quando você percebe que algo de seu corpo não “encaixa”, uma das maiores preocupações seja entender a origem da mudança. Por isso, a leitura da obra, de trás para frente, do estágio final da transformação ao seu início, é muito esperta. Chato é o trabalho para fechar o livro, mas vale a pena.

Avaliação: muito bom 

Veja o livro: http://vimeo.com/75020397

Haikai: em críticas curtas, o blog comenta fotolivros lançados neste ano.

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.