‘XY XX’, de Fosi Vegue

Por DAIGO OLIVA
Foto: Ernesto Rodrigues/Folhapress

‘XY XX’, de Fosi Vegue (Dalpine) — Leitores com repertório mais sofisticado diriam que as imagens de ‘XY XX’, de Fosi Vegue, de tão pixeladas e dominadas pelo tom sombrio da noite, se parecem com pinturas de Caravaggio. Para mim, a estética destas fotografias é como uma TV dos anos 1980 exibindo filmes pornôs. Das duas formas, as referências são ótimas! Durante três anos, o espanhol observou o quintal de uma casa vizinha com vários quartos para prostitutas levarem seus clientes. Embora muitas das imagens mostrem os atos de maneira clara, o que mais gosto é quando Vegue aproxima os registros até parecerem apenas pontos sem sentido. É como olhar o sexo por meio de um microscópio, o que combina com o título da publicação. Arranhões, puxões e pedaços dos corpos são tão fortes que encontram seus cromossomos. Se as fotografias são feitas de pequeníssimos pontos até formarem um objeto reconhecível, ‘XY XX’ faz o caminho contrário. Perfura a pele e o sexo até chegar na sua gênese.
Mais um trabalho de fôlego de um dos fotógrafos do coletivo BlankPaper. Recomendadíssimo.

Avaliação: muito bom 

Veja o livro: http://vimeo.com/101075214

Haikai: em críticas curtas, o blog comenta fotolivros lançados neste ano.

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.