Fotografia será tema da Feira Plana

Por DAIGO OLIVA

Pela primeira vez, a Feira Plana, maior evento de publicações independentes do Brasil, vai ter um tema. Na edição 2015, que acontecerá mais uma vez no MIS, em março, a fotografia vai protagonizar a mostra, com espaço exclusivo para trabalhos que envolvam o suporte e oficinas sobre o assunto.

A novidade não exclui a participação de expositores que publicam obras de ilustração, design e outras plataformas. Segundo Bia Bittencourt, criadora da feira e editora de vídeo da TV Folha, o tema foi escolhido porque “2014 foi o ano da fotografia”. “Vários editores de fotozines surgiram, e os que já existiam publicaram muita coisa nova. Além disso, a fotografia permeia a arte de maneira geral, não é uma gaveta separada”, defende ela.

Entre os convidados já confirmados para o evento estão o fotógrafo radicado nos EUA Ari Marcopoulos –ele foi assistente de Andy Warhol e ficou conhecido pelos retratos do rap americano do final dos anos 1980– e o holandês Erik van der Weijde. Completam o time Renata Catambas, da editora jrp|ringier, e o português Pedro Alfacinha, que trabalhou na prestigiosa editora Mack e hoje mantém uma galeria de arte em Lisboa.
Todos eles participarão de oficinas e/ou bate-papos durante o evento.

A mudança foi comemorada por expositores que participam da feira. Bru Bismara, da editora Bote –que publica fanzines de fotografia, contos e ilustração–, acredita que a decisão faz com que “apareçam projetos mais aprofundados sobre o tema”. “Sabendo disso, eu começo a pensar que preciso fazer algo além, já que a foto vai ser o personagem principal”. 

Cecilia Arbolave, 28, da editora Lote 42 –que não possui títulos de fotografia em seu catálogo–, afirma que nunca participou de um evento temático, mas diz que a “Feira Plana já tem uma tradição”. “As pessoas que vão, estão interessadas em publicações independentes e diferentes, isso que importa”.

LOTAÇÃO

A última edição do evento, em março, recebeu cerca de 15 mil pessoas em um fim de semana, segundo estimativa do MIS. Para melhorar a circulação do público, a organização da Feira Plana decidiu diminuir o número de expositores. Se neste ano estiveram 150 editoras no local, a quantidade cairá para cem em 2015, todas selecionadas via convocatória. Para Bismara, além de facilitar o fluxo, a mudança pode ajudar o público a avaliar as publicações com mais calma e num espaço menos apertado. “Muita gente desistia de ir até o final da feira, que era onde a minha editora estava”, reclama

Arbolave também vai na mesma linha. “Claro que quanto mais expositores, maior a variedade e gente produzindo”, defende ela. “Mas eu achei que a última edição teve tantas pessoas, além da exposição do Bowie na época, que ficava difícil para o público olhar os livros. O que diferencia essa feira é a conversa direta com quem compra, e às vezes isso não acontecia”.

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.