‘Everything Will Be OK’, de Alberto Lizaralde

‘Everything Will Be OK’, de Alberto Lizaralde (autopublicado) –
A resposta que mais gosto para o que é arte vem do nome da exposição curada pelo suíço Harald Szeemann em 1969: “Quando atitudes ganham forma”. “Everything Will Be OK”, do espanhol Alberto Lizaralde, se encaixa perfeitamente nesta definição. Ao contar a perda de um amigo, o fotógrafo
dá forma à angústia e aos vestígios da morte. É uma daquelas obras que se conectam com o leitor como um soco bem dado. Graças à sua ótima edição,
o livro tem ritmo, unidade e força –o que não impede de apreciar cada uma das fotografias separadamente. Enquanto as bordas arredondadas da publicação remetem ao formato de um diário, os registros de cortes e cicatrizes lembram o livro “Speaking of Scars”, da canadense Teresa Eng. Quando conheci “Everything Will Be OK”, o trabalho ainda era um projeto, mas já era evidente que seria uma grande obra. Um ano depois, o livro agora
é lançado em parceria com Cristina de Middel. Ao terminar a leitura, a capa ainda guarda uma surpresa. Eu, nem de longe, vou estragar a brincadeira.

Avaliação: ótimo 

Haikai: em críticas curtas, o blog comenta fotolivros lançados neste ano.

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.

Comentários

Deixe uma resposta