Instituto Moreira Salles compra séries clássicas de fotos de Geraldo de Barros

Por DAIGO OLIVA

O texto abaixo foi publicado originalmente na “Ilustrada” por Silas Martí.

Num acordo costurado nos últimos dois anos com a família do artista Geraldo de Barros, o Instituto Moreira Salles comprou as 620 imagens da famosa série “Fotoformas”, criada nos anos 1950, e receberá em comodato por sete anos as 1.600 peças de “Sobras”, o último trabalho do fotógrafo, dos anos 1990.

Barros, morto aos 75 anos, em 1998, foi um dos maiores nomes da fotografia moderna no país. A aquisição garante que quase todo o conjunto de sua obra permaneça no país –os milhares de negativos, agora expostos no Rio, estavam em Genebra com a filha dos artista, Fabiana de Barros, desde os anos 1980.

Imagem da série ‘Fotoformas’, trabalho mais célebre de Geraldo de Barros, dos anos 1950

“Esses negativos têm mais de 60 anos e precisam de um cuidado especial que não posso mais assumir”, diz Fabiana. “Era uma dívida que eu tinha com a obra dele e um legado para a fotografia no Brasil.”

Ela conta que a família recebeu propostas de museus como o Getty, de Los Angeles, interessados na obra de Barros, mas preferiu que a coleção ficasse no Brasil. O acordo com o IMS também prevê uma reedição de todas as imagens das séries “Fotoformas” e “Sobras”. Muitas delas nunca foram impressas. Das “Sobras”, o artista ampliou só 80 das cerca de 400 fotos da série.

GERALDO DE BARROS
QUANDO de ter. a dom., das 11h às 20h; até 22/2
ONDE Instituto Moreira Salles, r. Marquês de São Vicente, 476, Rio,
tel. (21) 3284-7400
QUANTO grátis

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.