Coleção que desnuda material bruto de célebres fotógrafos é lançada no Brasil

Por DAIGO OLIVA

Bresson as encarava como uma ida ao divã. Helmut Newton sempre se emocionava ao se deparar com elas pela primeira vez. Josef Koudelka, tcheco que registrou Praga durante a invasão soviética, as colocava na parede para ter certeza de suas escolhas. Antes indispensáveis, hoje abandonadas à força pelo digital, as folhas de contatos guiavam a relação dos fotógrafos com a edição de seus trabalhos. Nelas, os negativos eram revelados e, com uma lupa, escolhia-se a imagem.

Para entender as particularidades de cada fotógrafo com esta etapa da produção, William Klein começou a reunir, há mais de 20 anos, depoimentos de gigantes como Elliott Erwitt e Robert Doisneau. “Contatos”, como foram batizados os mini documentários, é lançado agora no Brasil, em DVD, pelo Instituto Moreira Salles. O primeiro dos três volumes, com 12 episódios de cerca de dez minutos cada um, passeia pelo arquivo de fotojornalistas celebrados, muitos deles da Magnum.

Detalhe de folha de contatos do fotógrafo americano William Klein
Contato fotográficos de Leonard Freed, presente na série ‘Contatos’

Para José Carlos Avellar, 75, responsável pela organização dos DVDs, a análise dos contatos desmistifica a ideia de que uma grande imagem seja fruto de “um momento único”. A sucessão de registros revela que a mesma cena foi registrada muitas vezes até chegar ao seu quadro definitivo. No entanto, Elliott Erwitt, conhecido pelo humor de seus ensaios de moda e obras documentais, discorda. Em depoimento ácido à série, o norte-americano diz que fazia muitas imagens num mesmo trabalho para dar aos editores a sensação de que estavam escolhendo algo. Brincadeiras de lado, o processo de edição pelas folhas também demonstra a persistência desses profissionais até contar uma história por inteiro e com perfeição.

Os volumes seguintes tratarão da fotografia contemporânea e da conceitual, com depoimentos de Sophie Calle, Jeff Wall e Wolfgang Tillmans. Se estas abordagens são mais próximas da maneira como fotografamos hoje, Avellar defende que os artistas presentes no primeiro volume já produziam, ao menos em quantidade, de maneira similar à realizada agora. “Com o digital, tira-se muito mais fotos para selecionar uma imagem do que na época do analógico. É a mesma coisa.”

CONTATOS VOL. 1
LANÇAMENTO IMS
QUANTO R$ 44,90
CLASSIFICAÇÃO 14 anos

***

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.