Alair Gomes e Mayana Redin abrem exposições em São Paulo neste sábado

Por DAIGO OLIVA

Percursos – Abre neste sábado (25), às 11h, na Caixa Cultural, a exposição “Alair Gomes: Percursos”, retrospectiva do pioneiro da arte homoerótica no país. Na mostra, com curadoria de Eder Chiodetto, estarão as séries mais famosas do artista, como “Sonatinas, Four Feet”, “Beach Triptychs” e “A New Sentimental Journey”, além de um ensaio inédito que realizou na praça da República, em São Paulo, em 1969. Destaque da Bienal de Arte de São Paulo em 2012, Alair fez mais de 20 mil imagens de meninos das praias do Rio, objeto de obsessão em sua vida. Após a inauguração, grátis, na pça. da Sé, 111 (tel. 11-3321-4400), haverá uma edição especial da festa Tenda, comandada pelos DJs Tiago Guiness e Guilherme Falcão Pelegrino, como uma espécie de segunda parte da abertura. O convescote ocorre a partir das 23h30 na boate L’Amour (r. Bento Freitas, 366, R$ 20), no centro de São Paulo.

Cosmos – Também neste sábado, às 15h, a artista Mayana Redin lança o livro “Edifício Cosmos” no Arquivo Histórico de São Paulo (pça. Coronel Fernando Prestes, 152, tel. 11-3396-6025). A publicação, que reúne fotografias de letreiros de edifícios paulistanos, cariocas e belo-horizontinos batizados com nomes referentes ao espaço sideral, faz parte da pesquisa contemplada pela Bolsa Estímulo à Produção em Artes Visuais, da Funarte, e contou com direção de arte de Alice Chaves e Bianca Muto, uma das metades da editora Pingado-Prés, que fará a distribuição gratuita da obra. O lançamento ocorrerá no mesmo local da exposição “Cosmografias (para São Paulo)”, extensão do livro, com os letreiros de prédios como “Ed. Astro”, “Ed. Andromeda” e
“Ed. Blue Moon” espalhados pelo espaço do Arquivo Histórico.

Vulcânicas – João Castilho será tema de uma nova mostra na Zipper Galeria, em São Paulo. “Porcelana e Vulcão” reúne obras inéditas, nas quais
o artista experimenta pela primeira vez na relação entre fotografia e escultura, além de apresentar vídeos e colagens. Na instalação “Corte”, dezenas de fotografias exibem fendas, fissuras e cortes em esculturas de ferro. Já a escultura em resina “Cão” mostra um cachorro tentando morder a própria cauda, enquanto no vídeo “Alvo” um suporte é atingido por várias flechas simultaneamente. O mineiro também exibirá uma série de colagens feita de notas de R$ 10 manchadas com tinta vermelha, que foram retiradas de caixas eletrônicos em tentativas de roubo, além de duas fotografias da série “Zoo”, vencedora da bolsa ZUM e segundo lugar no prêmio promovido pela Fundação Conrado Wessel neste ano. A Zipper fica r. Estados Unidos, 1.494 (tel. 11-4306-4306) e funciona de seg. a sex, das 10h às 19h; sábado, das 11h às 17h. A abertura, grátis, no dia 6/8, acontece a partir das 19h.

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.