Melhores fotolivros de 2015: Leo Caobelli

Por DAIGO OLIVA

O Entretempos fecha 2015 com a lista de melhores fotolivros do fotógrafo Leo Caobelli, que até pouco tempo era membro do coletivo Garapa. Após as seleções de Jörg Colberg, Fabio Messias e Walter Costa, ele é o quarto convidado do blog a exibir seus escolhidos do ano. Obrigado a todos!

***

André Penteado – ‘Cabanagem’ (Editora Madalena)

Nem preciso escrever muito sobre “Cabanagem”, hit do ano da lista de fotolivros. Já foi até classificado como um marco nacional aqui no Entretempos e, no fim das contas, é para tudo isso mesmo. O problema é que a editora Madalena vai aumentando o preço a cada lista publicada! 🙂

Régis Duarte – ‘Felizes Juntos’ (autopublicado)

Em um livro, por enquanto, único, Régis revisitou sua experiência nos EUA e o processo para conseguir um “green card” por meio de um casamento arranjado (no final dos anos 1990 o país não permitia o casamento homoafetivo). “Para ficar, corremos contra o tempo e criamos uma história necessária. Um teatro sem futuro e com liberdade fabricada”, explica ele. Publicado como um fotolivro padrão de casamento, “Felizes Juntos” é desses livros que ficamos torcendo para que tenha logo uma tiragem para garantir na estante de casa.

Ana Lira – ‘Voto’ (Pingado-Prés)

Até acho que “Voto” tenha sido lançado em 2014, mas só consegui o meu neste ano –logo entra na lista. O livro traz o trabalho exposto na Bienal de Arte de São Paulo, em 2014, em que Ana fotografa reproduções de cartazes políticos e as intervenções que estes sofrem. Ela realiza o trabalho em formato grande (297x450mm), o que torna seu manuseio um tanto difícil. Essa dificuldade do passar de páginas e até de guardar o livro me parecem questões-chave ligadas ao próprio andamento político do país, fazendo de “Voto” mais do que apenas uma síntese visual do trabalho produzido por Ana Lira.

Penelope Umbrico – ‘Range’ (Aperture)

A artista canadense é extremamente habilidosa em dar formato para o mar de imagens que se derrama por meio da web. Em “Range”, mais recente trabalho de sua série “Moving Mountains”, Umbrico refotografa imagens antigas e famosas de montanhas (um tema recorrente da fotografia de natureza) utilizando os mais novos aplicativos para câmeras de celular.

Ícaro Lira – ‘Museu do Estrangeiro’ (Contra)

Lira esteve na lista do ano passado com “Desterro”. Trata-se de um artista a ser acompanhado a cada exposição e publicação. Trabalha muito bem as camadas históricas e registros contemporâneos em suas criações, e “Museu do Estrangeiro” não é diferente. Foi uma exposição extremamente rica na Oficina Oswald de Andrade, em São Paulo, e depois publicado como fanzine pela Contra em edição muito bem realizada. Além disso o livro não poderia ficar de fora dessa lista pelo simples fato de um amigo ter me mandado a obra pelo correio e, depois de mais de 30 dias, o site atualizar o status da entrega para “objeto extraviado”. Espero que o ladrão tenho gostado tanto do livro que resolva publicar suas próprias histórias.

***

Curta o Entretempos no Facebook clicando aqui.