Saudade das pernas – Ensaio Palavra-Imagem com Daniela Arrais

(Foto: Nelson Almeida, Getty Images)

Convidei a jornalista e sócia-fundadora da @contente.vc para essa edição do Ensaio Palavra-Imagem, que escreveu lindamente sobre as tantas saudades e angústias que nos atravessam nesse período tão fora de qualquer roteiro de ficção científica que tentasse contar sobre os anos 2000 do tal futuro. Para suas palavras, optou por fotografias de diferentes fotógrafos e diferentes […]

Leia Mais

A utopia de um abraço – a obra dos artistas chineses ‘Gao Brothers’

Performance dos artistas Gao Brothers

“Orio Vall, que cuida dos recém-nascidos em um hospital de Barcelona, diz que o primeiro gesto humano é o abraço. Depois de sair ao mundo, no princípio de seus dias, os bebês agitam os braços, como buscando alguém. Outros médicos, que se ocupam dos já vividos, dizem que os velhos, no final de seus dias, […]

Leia Mais

A quietude do olhar – a obra da dinamarquesa Trine Søndergaard

” Capturar um estado de ânimo, aproveitar um pensamento de clareza líquida e de espírito É como segurar uma vida incompleta e que treme na mão. É preciso vestir ela de palavras e estrofes Moldar um traje de proteção Para que alguém através dele possa vislumbrar remotamente Tudo aquilo que a pessoa nunca chega a […]

Leia Mais

Uma temporalidade descontínua – Ensaio Palavra-Imagem com Dominique Gonzalez-Foerster

Nos Années 70 (Chambre), 1992, Cortesia da artista e da galeria Esther Schipper, Berlin (Foto: Andrea Rossetti)

Hoje no Ensaio Palavra-Imagem, o texto do curador, pesquisador e jornalista Victor Gorgulho com as lindas imagens da francesa Dominique Gonzalez-Foerster. Gorgulho, em sua pesquisa, se debruça, dentre outras temáticas, sobre as contradições dos projetos de modernidade desenrolados ao longo do século XX, ao redor do mundo; Gonzalez-Foerster, um dos nomes mais expressivos da arte […]

Leia Mais

Habitar e apreender a paisagem na experiência existencial do ser – a obra de Marcelo Moscheta

Equalizer For Distant Horizons – Itatiaia, 2014

“ (…) do fundo do opaco eu escrevo, reconstruindo o mapa de um soalheiro que nada mais é que um inverifcável axioma para os cálculos da memória, o lugar geométrico do eu, de um mim mesmo do qual o mim mesmo necessita para se saber mim mesmo, o eu que só serve para que o […]

Leia Mais

As cicatrizes de um território – a obra do sul-africano Moshekwa Langa

Identidade Preciso ser um outro para ser eu mesmo Sou grão de rocha Sou o vento que a desgasta Sou pólen sem insecto Sou areia sustentando o sexo das árvores Existo onde me desconheço aguardando pelo meu passado ansiando a esperança do futuro No mundo que combato morro no mundo por que luto nasço Mia […]

Leia Mais

Harmonia musical, humana e cósmica: de que música somos compostos?

Malick Sidibé

Qual é a música que nos compõe enquanto pessoa? “Necessariamente, a música que nos constitui não é nem boa nem má; ela é a música que cada um de nós anseia naquele momento para poder entrar em contato com a sua alma, com o outro e com a alma do mundo. Não há satisfação maior […]

Leia Mais

Cartografias afetivas através da paisagem na obra da portuguesa Cristina Ataíde

Montanha #97

O barulho do mar e do vento. A montanha, a ideia da montanha impraticável. E depois a terra arenosa por ali fora. E a solidão. E sentir sobretudo que já não pode haver medo. Fecho as portas da casa, a porta de saída e as portas dos quartos entre si. E fico no quarto sem […]

Leia Mais

Os sons de um planeta chamado Terra – Roberta Martinelli e Marianne Bjørnmyr no ensaio palavra-imagem

“An Authentic Relation” de Marianne Bjørnmyr

Para essa edição do ensaio palavra-imagem, convidei  a querida Roberta Martinelli,  dona da voz da música brasileira, apresentadora do “Som a Pino” na Rádio Eldorado e do “Cultura Livre” na TV Cultura,  para se inspirar com as imagens etéreas de um espaço suspenso, da fotógrafa norueguesa Marianne Bjørnmyr. O resultado?! Um ecoar das entranhas deste planeta […]

Leia Mais

Habitar o corpo da terra – uma reflexão a partir do corpo-pedra do artista Rodrigo Braga

Corpo duro 4, 2013.

“Viver como uma dilatação momentânea. O corpo vem da terra, exibe-se e encolhe. Quando o corpo desaparece dizem que existimos, que andamos por aí”. João Guilhoto, “O livro das aproximações”. Antes do pedaço de terra, o corpo. O artista Rodrigo Braga, desde 1999 vem trabalhando em suas obras a relação do homem/corpo com o meio – ecológico, […]

Leia Mais