A utopia de um abraço – a obra dos artistas chineses ‘Gao Brothers’

Performance dos artistas Gao Brothers

“Orio Vall, que cuida dos recém-nascidos em um hospital de Barcelona, diz que o primeiro gesto humano é o abraço. Depois de sair ao mundo, no princípio de seus dias, os bebês agitam os braços, como buscando alguém. Outros médicos, que se ocupam dos já vividos, dizem que os velhos, no final de seus dias, […]

Leia Mais

Dois corpos na cumplicidade de um dançar – os irmãos Ebinum, da Nigéria

Os irmãos Victory e Marvel Ebinum

Os irmãos Victory e Marvel Ebinum são dançarinos autônomos que vivem em Lagos, Nigéria, país que compartilha com o Brasil culturas e histórias, em um laço criado a partir da violência da escravidão. Absolutamente movidos pela paixão de mover seus corpos como no ato de respirar, tive a chance de conversar com eles na terça-feira, […]

Leia Mais

A quietude do olhar – a obra da dinamarquesa Trine Søndergaard

” Capturar um estado de ânimo, aproveitar um pensamento de clareza líquida e de espírito É como segurar uma vida incompleta e que treme na mão. É preciso vestir ela de palavras e estrofes Moldar um traje de proteção Para que alguém através dele possa vislumbrar remotamente Tudo aquilo que a pessoa nunca chega a […]

Leia Mais

As pinturas viscerais da espanhola Paula Bonet

La sed #1, Paula Bonet

Em carne-viva. Assim é a obra da espanhola Paula Bonet, com quem bati um papo na última terça feira (26). Todas as emoções correndo intensamente por suas veias em cada ato de pintar, desenhar, escrever… Dor, angústia, tristeza, dúvidas e anseios como lugares onde se coloca em risco o tempo todo. Desde os últimos trabalhos, […]

Leia Mais

As cicatrizes de um território – a obra do sul-africano Moshekwa Langa

Identidade Preciso ser um outro para ser eu mesmo Sou grão de rocha Sou o vento que a desgasta Sou pólen sem insecto Sou areia sustentando o sexo das árvores Existo onde me desconheço aguardando pelo meu passado ansiando a esperança do futuro No mundo que combato morro no mundo por que luto nasço Mia […]

Leia Mais

Harmonia musical, humana e cósmica: de que música somos compostos?

Malick Sidibé

Qual é a música que nos compõe enquanto pessoa? “Necessariamente, a música que nos constitui não é nem boa nem má; ela é a música que cada um de nós anseia naquele momento para poder entrar em contato com a sua alma, com o outro e com a alma do mundo. Não há satisfação maior […]

Leia Mais

O que separa um dia do outro? Verónica Flom e Joaquín Boz no Ensaio Palavra-Imagem

Sem-título, 2018, óleo sobre madeira, 160 x 220 cm

Para este Ensaio Palavra-Imagem, convidei a curadora argentina Verónica Flom e o artista plástico Joaquín Boz para ocuparem esse espaço com uma parceria feliz entre os dois. Desde fevereiro,  quando conheci a obra de Boz, em Buenos Aires, essas palavras de Flom, vez ou outra, voltam em meus devaneios. Que alegria poder publicar aqui hoje. __________________________________________________________________________________________ Notas […]

Leia Mais

A solitude, o exílio e a guerra na obra da artista Isabel Rocamora

Frame do filme “Horizon of Exile”, 2007

Com sua essência na performance, a artista hispano-britânica Isabel Rocamora, com quem bati um papo ontem (6 de maio), explora em seus filmes identidades individuais e culturais, a guerra e o exílio, por meio da linguagem do gesto em diferentes corpos humanos; em suas igualdades e diferenças em seus rituais, desacontecimentos, buscas, transições, aflições e descobertas. No sentido […]

Leia Mais

Os sons de um planeta chamado Terra – Roberta Martinelli e Marianne Bjørnmyr no ensaio palavra-imagem

“An Authentic Relation” de Marianne Bjørnmyr

Para essa edição do ensaio palavra-imagem, convidei  a querida Roberta Martinelli,  dona da voz da música brasileira, apresentadora do “Som a Pino” na Rádio Eldorado e do “Cultura Livre” na TV Cultura,  para se inspirar com as imagens etéreas de um espaço suspenso, da fotógrafa norueguesa Marianne Bjørnmyr. O resultado?! Um ecoar das entranhas deste planeta […]

Leia Mais

O tempo, a pausa e o silêncio – a expressão japonesa ‘Ma’ como uma potência do vazio, na obra de arte

Hiroshi Sugimoto

Vivemos uma suspensão de nossas vidas. Em um intervalo de espaço-tempo que jamais a história pode prever para nossa civilização. Estamos no presente. Numa pausa, num silêncio. É nisso que nos apegamos, no hoje, porque o passado está cada vez mais distante… e o futuro? Tá bem longe também… E esse longe é abstrato, podendo ser […]

Leia Mais