As histórias sugeridas pelo fotógrafo americano Todd Hido em suas imagens solitárias

Eu dirijo, Eu dirijo muito. As pessoas me perguntam como encontro minhas fotos. Eu digo a eles que eu dirijo por aí. Eu dirijo e dirijo e não encontro nada que seja interessante para mim. Mas então, algo chama. Algo que parece meio fora ou talvez um espaço vazio. As vezes é uma cena triste. Eu […]

Leia Mais

Residência artística na Amazônia: a cultura como uma estratégia urgente para coexistir com o meio ambiente

Foto aérea da torre metereológica ZF 2, no INPA, Manaus (Foto: Rogerio Assis).

Pensar na Amazônia como um lugar de imersão, de pesquisa e de desenvolvimento de um projeto artístico na maior floresta tropical do mundo de um jeito totalmente único e profundo, com cientistas e especialistas em diferentes temas ligados à ecologia é o que o LabVerde propõe com sua diferenciada residência artística de 10 dias em […]

Leia Mais

Quando a morte se torna uma performance – do artista americano James Lee Byars

Há 25 anos, “A morte de James Lee Byars” na Galeria Marie-Puck Broodthaers, em Bruxelas. (Foto: Divulgação)

“Espero que as pessoas experimentem minha maneira de praticar minha própria morte como algo útil para si mesmas.” – James Lee Byars Em outubro do ano passado estive na 58ª Bienal de Veneza e, entre tantas obras e instalações paralelas, A morte de James Lee Byars na Chiesa di Santa Maria della Visitazione, organizada pela galeria belga Vanhaerents […]

Leia Mais

Fôlego para 2020: 14 artistas brasileiros interpretam o título do livro ‘ideias para adiar o fim do mundo’, de Ailton Krenak

Mercury/year, de Verena Smit.

O livro Ideias para adiar o fim do mundo do líder indígena Ailton Krenak, é uma adaptação de duas palestras realizadas em Portugal, nos anos de 2017 e 2019. Ele debate e critica a ideia de humanidade como algo separado da natureza. Ele discute, com um tom irônico, como os brancos abriram mão da liberdade de se conectar em harmonia a […]

Leia Mais

A migração pela Arte Contemporânea

Adrian Paci

“Você só corre para a fronteira quando vê os outros correndo”. Trecho do poema “Home” da poeta somali-britânica Warsaw Shire (o poema na íntegra está no final da página). Deslocamento. Deslocar-se. Ser transferido. Migrar. Atravessar o mar. Cruzar montanhas. Encarar (ou não) a fronteira. Deixar o abrigo, sua redoma de sonhos. Ser obrigado a deixar uma história […]

Leia Mais

Os batimentos cardíacos da terra, da holandesa Birgitta de Vos

Birgitta de Vos é uma dessas artistas de fala mansa e cheia de pausas, assim como suas imagens, que retratam o mundo com delicadeza.  A holandesa, que trabalha em um estúdio no interior dos Países Baixos, mora em um barco de carga convertido em casa em Amsterdã, batizado de “The Iron lady” em homenagem ao […]

Leia Mais

Pluralidade feminina: o corpo como território político

Ana Mendieta, 1972. (Foto: Reprodução)

“Ninguém nasce mulher, torna-se mulher” – a emblemática frase de Simone de Beauvoir. Faz tempo que quero agrupar aqui imagens de artistas feministas importantes na história da arte, desde que vi duas grandes exposições: em 2018,  em São Paulo; e outra em outubro último,  em Barcelona, acompanhada de leituras potentes de Louise Bourgeois, Virgia Woolf, Simone […]

Leia Mais

O Sujeito Coletivo Mulher, de Gretta Sarfaty, no IAB e Central Galeria

“Body Works”, 1976.

O número 306 da Rua Bento Freitas, em São Paulo, recebe uma dobradinha das obras de Gretta Sarfaty.  A artista conhecida por  registrar permanentemente seu corpo e seu estado psíquico, utilizando pintura, papel, desenhos, fotografias, performances está com duas individuais: No IAB – Instituto de Arquitetos do Brasil –  e na Central Galeria. Ela nasceu em […]

Leia Mais

A casa branca de Fernanda Gomes, na Pinacoteca

(Foto: Cassiana Der Haroutiounian)

Entrar na “casa”de Fernanda Gomes, na Pinacoteca, pede tempo, cuidado, solitude e presença. Um estado de alerta. Com uma porta de entrada e outra de saída, os caminhos percorridos nessa casa são criados e recriados pelo hóspede/espectador. Não tem fim, nem começo. Uma trajetória branca, pura ou atravessada pelo tempo de vida dos objetos brancos, […]

Leia Mais

O acontecimento entre dois corpos no trabalho de Marcia Pastore

Frestas em máquina, 2019. Bronze polido, resina de poliéster, gesso, breu, cabo de aço, roldanas e ganchos – Dimensões variáveis. (Foto: Isabella Matheus)

Dois corpos em ação. Corpos de borracha, gesso e ferro que reagem com a ação do outro. Uma delicada dança escultórica que acontece nas sutilezas do encontro. O equilíbrio entre o volume e o vazio, o positivo e o negativo, a tensão e o descanso. São esses os pilares das 40 obras da artista paulistana […]

Leia Mais