Os nomes da fotografia para 2013

Chega de olhar pra trás.

O Entretempos pediu a três especialistas que nos dissessem quais serão os nomes que vão se destacar em 2013 na fotografia.

Não necessariamente esses artistas precisavam ser novos, nem de idade, nem de tempo de trabalho, mas que, numa brincadeira de apostas, pudessem ser lembrados com frequência no decorrer deste ano.

É preciso lembrar que esse blog não trata a fotografia como uma prática pura, e a imagem pode existir muito antes do registro fotográfico, como também não está completa após um simples clique.

Por isso, alguns exemplos dos artistas abaixo misturam vídeos, recortes, construções e instalações.

Nosso muito obrigado aos colaboradores dessa lista e que você, leitor, possa conhecer novos nomes nesse espaço.

Boa leitura.

_ _

Thyago Nogueira, editor da revista ZUM e coordenador da área de fotografia contemporânea do Instituto Moreira Salles

“Pincei três artistas bem jovens, ainda não consagrados pelo mercado”.

_ _

Letícia Ramos – A gaúcha arretada navega por águas visuais profundas e explora o próprio equipamento fotográfico.

Leme de Vento, 2012
_ _

André Cepeda – O jovem português continua a entoar seu fado urbano sensual.

Casal, 2009
_ _

Zanele Muholi – A sul-africana que mostra como a arte é engajamento político.

Massah & Mina(h) II, 2008
_ _

Ronaldo Entler, professor e coordenador de pós-graduação da FAAP

“Mais do que imaginar quem irá explodir, preferi pensar em exemplos de artistas que conheço de perto, que já despontaram, que têm ainda muito espaço para crescer e, principalmente, que revelam condições de se sustentar no mundo da arte”.

_ _

Flavia Junqueira – Com um trabalho marcante, experimentou um sucesso muito precoce. Isso projetou seu nome, mas não foi necessariamente bom para sua carreira. Aqui entra o mais importante: provou que sabe a hora de se recolher, de estudar e de se renovar.

O caminho que percorri até te encontrar, 2011
_ _

Felipe Russo – Sabe dar tempo aos seus projetos, produz ensaios em profundidade. Mesmo dedicando-se à reflexão, em seus trabalhos, aposta num pensamento conduzido pelas imagens, evitando artifícios verborrágicos para sustentá-los.

Recreio da Borda do Campo
_ _

Letícia Ramos – Produz “experiências” de um modo que a ciência e a arte já pouco conhecem. Concilia de forma singular pesquisas com os meios técnicos, relatos históricos e especulações que se aproximam da literatura fantástica.

Bitácora, 2011
_ _

Luciano Schmitz, diretor de arte do núcleo de revistas da Folha

“Busquei três vertentes diferentes e que me interessam. São, relativamente, novos ou, pelo menos, pouco conhecidos”.

_ _

Marlo Pascual – Desconstrução de imagens e impressionismo na forma de expor.

Sem título, 2011
_ _

Noemie Gouldal – Delicadeza surreal e inventismo na fotografia de paisagem.

Well, 2011
_ _

Sofia Sanchez & Mauro Mongiello – Mistura bem sucedida e improvável de referências de Guy Bourdin, Miles Aldridge e Jurgen Teller, traz um novo olhar sobre as fotos, já viciadas, de moda.

_ _

E pra vocês, quais os nomes que irão se destacar na fotografia em 2013? Deixe nos comentários abaixo…

Comentários

  1. esse post é quase um tiro no pé,é tão lindo ao mesmo tempo horrível,felipo russo,flavia junqueira o portuga? queria ver gente nova de verdade, alguém que não ganhou prêmios e afins,até quando vamos depender do maria vai com as outras,para reconhecer novo e bons artistas? isso é mais do mesmo

  2. Adoro o trabalho da Leticia!
    Mas sinto um pouco por a galera que apresentaram não me tocar tanto, acho que tem gente que merece bem mais estar ne ranking. Apresento a vocês duas meninas que me inspiram bastante, tentei pegar uma gringa e uma brasileira. Espero que gostem. Uma mais madura, a Amy, mas o contexto da vida dela me faz vibrar. Já Pétala sinto que sensibilidade transborda! Vejam, e me digam.

    Amy Hildebrand,
    http://withlittlesound.blogspot.com.br/

    Pátala Lopes,
    http://petalalopes.com.br/

    Beijos,
    Obrigada!
    Julia

  3. Sair dos eixos já conhecidos também seria uma boa para não rotular nomes que já estão conhecidos. Norte, Centro Oeste e Nordeste tem muita gente que está despontando em sua fotografia e fazendo acontecer, apesar das dificuldades de disseminação destes trabalhos. O Ceará hoje é um celeiro de bons fotógrafos, como o Gentil Barreira, já conhecido nestas terras nordestinas por seus trabalhos em publicidade, mas que tem um trabalho autoral sensivel. Henrique José e Pablo Pinheiro, além da Sônia Figueiredo aqui no RN também são ótimos exemplos. Sem falar em tantos outros nomes que não chegam até as mídias e aos curadores, por muitas vezes, serem caminhos verdadeiramente dificeis de se percorrer e a falta de um olheiro que os indique, que sabemos que é bastante comum no mundo das artes brasileiras.

Deixe uma resposta